Categorias
filosofia

O que é filosofia?

O que é filosofia?A filosofia é um conjunto de abordagens e reflexões com propósitos transcendentais que se realizam para responder ao início e ao fim de múltiplos fenômenos presentes no universo, seja vida, espírito, amor, arte, etc. Esse conhecimento pode ser baseado em observação, pesquisa, análise de textos, entre outros.

O termo vem do latim “philosophia” e do grego “φιλοσοφία”, que se diz ter sido cunhado na Grécia Antiga por Pitágoras, cujo significado é “amor à sabedoria”, referindo-se à busca constante pelo conhecimento transcendental.

Há uma infinidade de ideias e objetos de estudo sobre os quais a filosofia dedicou grande parte de sua pesquisa. Nesse sentido, podemos encontrar uma variedade de ramificações sobre as quais a filosofia apresenta múltiplas abordagens e conceitos. A seguir, faremos uma breve abordagem a determinadas áreas da filosofia respectivamente.

O que é filosofia?, conhecimento
  • Save
o que é conhecimento de filosofia

Etimologia

Anteriormente, explicamos um pouco sobre a etimologia do termo “filosofia”. A isso podemos acrescentar que seu significado está associado à criação de novos esquemas de pensamento, a fim de transcender o conhecimento e, assim, dar resposta a múltiplas premissas sobre um fenômeno específico.

A menção de Pitágoras, que se diz ser aquele a quem o termo “filosofia” é atribuído, teria cunhado para o século VI aC. C. De fato, sabe-se que Pitágoras afirmava ser um amante da sabedoria, ao invés de um verdadeiro sábio, paradigma do qual se considera que sua explicação etimológica do termo (“amor à sabedoria”) provém.

A filosofia tem sido uma das bases mais importantes para a consolidação das humanidades, disciplinas que se dedicam a responder às questões e premissas mais profundas sobre o que nos torna humanos.

Embora as investigações que se realizam nas diferentes áreas das humanidades, como a psicologia, não sejam o principal recurso para dar essas respostas, foram, à época, a base de muitas dessas investigações.

Nesse sentido, podemos nos referir à filosofia como antecessora de grande parte do conhecimento que hoje converge, dentre muitas áreas, nas ciências humanas. Atualmente, a filosofia continua a ser referência na investigação de centenas de áreas, juntamente com outros ramos do conhecimento, dando origem a múltiplas investigações e especializações em diferentes disciplinas.

cristão

A filosofia cristã é uma corrente de pensamento que nasceu no tempo de Leão XIII, como forma de continuar com as opiniões da igreja, a fim de atribuir um conjunto de atribuições baseadas na doutrina cristã, à explicação de múltiplos fenômenos. na vida humana.

Desta forma, a filosofia cristã levantou uma ampla gama de problemas ao longo da história. No entanto, sua veracidade tem sido questionada em muitas ocasiões, em primeiro lugar, por sua natureza, bem como por aqueles que rejeitam categoricamente sua perspectiva diante de criar problemas no pensamento.

Não há noções que, ao mesmo tempo, corroborem a fé cristã com as doutrinas da filosofia, o que gera, a partir de suas bases, problemas em seus critérios mais importantes. Portanto, um grande número de pessoas rejeita a ideia de que a filosofia cristã possa ser considerada um ramo válido da filosofia.

A filosofia cristã alerta para uma série de noções diante de sua concepção do ser humano, que se apresenta a seguir:

  1. Ser: Baseado na criação de Deus, sendo à sua imagem e semelhança.
  2. Deus: Como o ser supremo, responsável pela criação, que a estabelece como causa de tudo.
  3. A verdade: Baseia-se na relação perene que deve existir com a orientação do conhecimento e da verdade divina.

O estudioso Orígenes e Clemente, membro da igreja alexandrina, são conhecidos como os criadores e fundadores da filosofia cristã. A eles são atribuídas as primeiras abordagens que tentaram unificar a filosofia com a doutrina do cristianismo.

Quando se fala em filosofia cristã, faz-se referência à prática do filosofar cristão, e não a uma filosofia baseada na fé, muito menos, em uma filosofia que vem da própria igreja. Baseia-se em um processo reflexivo que envolve um modo de filosofar sob princípios cristãos, elaborando especulações baseadas na fé.

da direita

A filosofia do direito é a área da filosofia, que trata de analisar e explicar todos os argumentos do tipo filosófico que se encontram no direito, em ambos os casos, tanto em nível institucional quanto normativo, ambos baseados no comportamento justo de uma sociedade respectivamente. .

Todas as correntes de pensamento que nos permitem oferecer uma base para o direito estão agrupadas aqui. Para isso, aborda múltiplos estudos de tipo filosófico que permitem compreender a sociedade a partir de uma perspectiva jurídica, valorizando aqueles aspectos, tanto positivos quanto negativos, de um grupo de pessoas, ou, em palavras mais simples, de uma sociedade.

A filosofia do direito busca, nessa linha, direcionar seus estudos especificamente para as seguintes atividades:

  1. Estudo da norma jurídica positiva: a partir do entendimento do direito como ciência e disciplina. O objetivo é desenvolver uma filosofia ou corrente crítica que nos permita compreender a experiência jurídica, para a qual são constantemente desenvolvidas discussões sobre os principais objetivos do direito.
  2. Compreender a epistemologia: Centrando-se na compreensão de cada um dos termos presentes na área do direito, oferecendo uma explicação cada vez mais exaustiva de todos aqueles construtos que, graças à ontologia, conseguiram consolidar-se ao longo do tempo como conceitos cada vez mais convencionais.
  3. Criar sistemas reflexivos e históricos: Tentar compreender como alguns acontecimentos históricos deram origem a múltiplos cenários e, a partir disso, criar um sistema de reflexão sobre o qual seja possível desenvolver novas formas de pensar. O objetivo, transcender esses cenários no futuro, para corrigir os erros cometidos e, nesse sentido, agir corretamente.

Por meio dessas aplicações, a filosofia do direito permite uma correta interpretação de todos os conceitos que fazem parte de um arcabouço jurídico. Da mesma forma, permite uma definição clara dos processos que ocorrem na aplicação de uma instituição legal, garantindo o uso correto dos recursos disponíveis.

De Educação

A filosofia da educação é um ramo da filosofia responsável por estudar os processos educacionais, entendendo-o como uma transformação nas formas de pensar de um indivíduo e, portanto, como um processo complexo, partindo de uma perspectiva racional. Seu objetivo é compreender como funciona a educação humana e todos os seus componentes.

Em geral, a filosofia da educação pode ser descrita como uma análise crítica e reflexiva dos propósitos da educação. Desta forma, define-se como uma disciplina encarregada de compreender a função que o processo educacional cumpre em uma sociedade, entendo que esta é responsável por mudar o pensamento de uma pessoa.

Como em muitos ramos da filosofia, a filosofia da educação não escapa de alguma controvérsia entre suas definições. Alguns autores a conceituam como uma disciplina responsável pela compreensão dos processos educativos, enquanto outros indicam que é um conjunto de pensamentos que visa dar um significado transcendental à educação sobre o ser humano.

Alguns autores chegam a defini-la como uma ciência que reuniu um corpo de conhecimento que visa facilitar a compreensão de múltiplos fenômenos, possibilitando compreender as diversas áreas de estudo a que uma pessoa pode se dedicar respectivamente.

Da ciência

Podemos dizer que a filosofia da ciência é um ramo da filosofia que trata de estudar e compreender o conhecimento científico, juntamente com todas as práticas que ocorrem na pesquisa científica. Seu objetivo é fornecer informações sobre o pensamento científico através do estudo de todos os seus métodos e aplicações.

Para isso, são valorizados diferentes aspectos, como a avaliação e criação de teorias científicas, o desenho de métodos de pesquisa para contrastar informações, etc. Presume-se, nessa filosofia, que a ciência é capaz de aproximar a humanidade da verdade absoluta na compreensão dos diferentes fenômenos.

A natureza empírica da informação fez da ciência um dos principais portais de acesso ao conhecimento sólido de valor útil. Dessa forma, a filosofia da ciência adquire grande relevância, pois deve estudar constantemente a forma como a ciência gera esse tipo de conhecimento, a fim de compreender os processos naturais do ambiente humano.

A filosofia da ciência pode ser considerada uma área relativamente nova, pois, ao contrário do restante das filosofias mencionadas acima, a filosofia da ciência nasceu apenas para o século XX, portanto sua aplicação não conseguiu se expandir tanto até hoje. . Isso, diante da complexidade de seu objetivo principal de estudo, alerta para um caminho realmente longo para sua expansão.

Conclusão O que é filosofia?

A filosofia é, sem dúvida, uma das áreas mais importantes para aproximar uma determinada área à sua constante evolução, permitindo reconhecer e identificar os fatores necessários para transformar o pensamento e, assim, melhorar continuamente a forma como abordamos o conhecimento.

Ler mais:O que é ontologia?; Significado da definição de histopatologia

Share via
Copy link
Powered by Social Snap